16/09/2014

Bicho de Estimação - A Importância da Vacinação em Cães

Quando você opta por cuidar de um Bichinho, deve levar em consideração que além de todos os cuidados diários com alimentação, banhos e mimos, há um item de suma importância, e que muitas vezes é negligenciado, a vacina.

Algumas pessoas só vacinam seus animais quando filhotes, pensando de forma errônea que estarão sadios na vida adulta.

O certo é que todo Bichinho deve ser vacinado conforme o calendário de vacinação no primeiro ano de vida e tomar doses de reforço todos os anos .

Entenda melhor algumas doenças que podem ser prevenidas:

CINOMOSE - é uma das doenças caninas com maior taxa de mortalidade, e afeta principalmente animais com o sistema imunológico enfraquecido, é comum em filhotes e idosos e o que mais preocupa é o difícil diagnóstico já que os sintomas confundem um pouco, como um simples mal-estar por exemplo. No início, os sistemas digestivo e respiratório são atingidos, causando vômitos, diarreias, secreções nasal e ocular, podendo dar febre e pneumonia.

Mais adiante, afeta o sistema nervoso central e o animal apresenta espasmos musculares, comportamento estranho, levando a convulsões e finalmente o coma; é muito difícil sair desse estágio sem sequelas.

HEPATITE INFECCIOSA CANINA (HIC) - é uma doença infecto-contagiosa, causada pelo adenovírus do tipo I, e tem sinais parecidos com os da cinomose. Pode ficar incubada em média 7 dias de forma assintomática, e ser transmitida tanto de um contato direto com um cão sadio com um cão doente, ou por contato de secreções e objetos contaminados.

A doença pode se manifestar de forma Aguda com sinais de febre, icterícia, conjuntivite, falta de apetite, diarreia, vômito, ou Superaguda, quando o cão não apresenta quase ou nenhum sintoma, o diagnóstico é feito muitas vezes, somente através de necropsia.

ADENOVÍRUS CANINO TIPO 2 - doença respiratória e altamente contagiosa, os sintomas mais comuns são tosse seca, seguida de vômitos, ou uma tosse com secreção espumosa branca. Alguns apresentam conjuntivite e rinite. O diagnóstico é feito através de exames laboratoriais.

CORONAVÍRUS CANINO - infecta normalmente o intestino e raramente se espalha para outras partes de um mesmo animal, o período de incubação se dá no período curto de 1 a 3 dias. Os sintomas observados são diarreia, vômito, febre, perda de apetite e letargia. O tratamento consiste no controle da desidratação, através de soluções balanceadas e também antibióticos e quimioterápicos quando apresenta-se de forma mais severa. O diagnóstico é feito através de exames laboratoriais específicos.

PARAINFLUENZA CANINA - a contaminação se dá através do contato direto com outro animal doente, e a incubação ocorre de 5 a 7 dias. A doença apresenta sintomas típicos de gripe, como coriza, tosse seca (curta) e espirros, estado febril, havendo apatia e falta de apetite, além de secreções nasais e nos olhos, pode ter complicações como a pneumonia e o tratamento é feito com antibióticos.

PARVOVÍRUS CANINO - altamente contagioso, afeta o intestino e a infecção acontece de modo fecal-oral e os sintomas aparecem em 5 dias a contar da exposição do animal ao vírus, os sintomas são: anorexia, vômito, letargia, diarreia com sangue e febre em alguns casos, seguida de desidratação. O tratamento é feito de acordo com o sintoma apresentado pelo animal, uma vez que não há um remédio que resolva diretamente a doença, e sim dar um suporte para que o Bichinho se restabeleça através de antibióticos e remédios para controle de enjoo e vômito, mas tudo depende de como o animal irá responder, é uma doença agressiva e pode levar a morte.

LEPTOSPIROSE - doença transmitida por roedores através do contato com a urina. Os principais sintomas de um cachorro contaminado são: perda de apetite, febre, vômito, urina de cor amarronzada, sendo que a bactéria ao atingir rins e fígado, altera suas funções levando o animal a apresentar icterícia.

O tratamento é feito com antibióticos e a cura pode ser feita se iniciada logo que surgirem os primeiros sintomas.

BORDETELLA BRONCHISEPTICA - bactéria que causa a traqueobronquite infecciosa, também conhecida como tosse canis, acomete de forma mais grave e é transmitida pelo contato direto entre animais, sendo o período de incubação de 6 dias, infectando a traqueia de cães.

RAIVA - doença propagada por vírus através principalmente da saliva e pode ser passada ao homem. A incubação se dá após a mordida entre 20 a 60 dias, e apresenta 3 tipos: a Raiva Furiosa, o cão fica agressivo, inquieto, recusa alimentos, ingere suas fezes e toma muita água, além de apresentar salivação excessiva, no terceiro ou quarto dia após tais sintomas, começa a paralisia, levando em até 48 horas à morte. O segundo tipo é a Raiva Muda, o cão fica sonolento, letárgico, iniciando as paralisias, incluindo a maxilar, ficando com a boca aberta o tempo todo, tudo vai piorando até a morte do cão. Por fim, Raiva Intestinal, com distúrbios gastrointestinais, o animal não apresenta nenhum sinal de agressividade e tende a morrer em 2 ou 3 dias.

 

Por: Marjorie Borges

Relacionaos

Gostou? Compartilhe