20/02/2015

Bicho de Estimação - Betta, o Peixe Brigão

O Betta é um peixe conhecido por seu temperamento difícil e por isso é normal ser criado sozinho em um pequeno aquário, deve ser daí a fama de brigão.

Vivem em média se bem tratados, de 3 a 4 anos.

Higienizando bem o aquário (que não precisa ser tão pequeno como vemos por aí) e dando a ração certa, tudo ficará bem com o seu peixinho.

Como vivem sozinhos a reprodução é sempre um assunto a parte.

Em primeiro lugar você precisa saber que o macho deve ser um pouco maior do que a fêmea para facilitar as coisas na hora do namorico. Coloque cada um em seu aquário, mas um de frente para o outro, para que possam se olhar bastante, criar um clima digamos assim.

O aquário deve estar sem filtro e sem muita parafernália, mas se possível com plantas aquáticas que terão grande utilidade para alojar os alevinos (peixe recém saído do ovo)e a temperatura média da água deve ser de 27º C.

Coloque a fêmea dentro do aquário mas com uma proteção transparente pode ser um pote ou garrafa, e o macho no aquário principal, mantenha a tampa fechada para não perder o calor e aguarde por pelo menos 24 horas para que o macho invista na fêmea, caso isso não ocorra, segundo informações do site aquahobby, faça o seguinte:

** Coloque a fêmea no aquário junto com o macho, ele irá nadar agressivamente atrás dela mostrando suas nadadeiras bem abertas. Deixe-a por 2 minutos, retire-a, descanse e repita novamente. Porém fique atento ao menor sinal de que o macho irá machucá-la, se isso ocorrer separe-a imediatamente.

**A esta altura a fêmea deve estar bem gordinha e com listas verticais em seu corpo (este é o sinal de que ela está pronta para o acasalamento), se o macho ainda não fez o ninho, retire o pote em que a fêmea está, e coloque outro macho junto com o reprodutor, siga as mesmas instruções descritas na primeira dica, apenas diminuindo o tempo para 1 minuto, e ao menor sinal de briga retire o macho colocado.

**Se mesmo assim o reprodutor não fez o ninho, pegue cuidadosamente com uma colher um pouco de um ninho feito por outro macho (supondo que você tenha outro em casa) e coloque junto ao suporte do reprodutor, isso fará com que ele faça um outro ninho para cobrir o que você colocou.

**O macho ainda não fez o ninho? Retire-o e coloque outro em seu lugar (não é preciso dizer que a fêmea deve estar dentro do pote que está no centro do aquário), aguarde 24 horas para que "o estepe" faça o serviço. Se o ninho for feito, retire o “estepe” e coloque o reprodutor de volta. Se o ninho não for rejeitado pelo macho (em alguns casos ele o destrói por completo) tente o acasalamento. Caso seja rejeitado e destruído, troque a fêmea. Tente todos os passos novamente e se mesmo assim não der certo é melhor apelar para o Santo Casamenteiro de sua preferência e rezar bastante. O macho pode ser estéril, ou ainda não está maturado sexualmente para o acasalamento. A maturidade sexual do macho se dá a partir do quarto mês de vida. Tente trocar o casal para a reprodução. Infelizmente alguns comerciantes dão hormônios de crescimento para os peixes ou mesmo ainda com hormônios acabam por deixar os animais inférteis. Portanto se nenhum destes passos funcionar, troque de fornecedor e procure saber a origem dos animais.

Se não houve nenhum problema e o ninho foi feito, fica cheio de bolhas, solte a fêmea no aquário, é chegada a hora do acasalamento, fique de olho no macho que pode tentar dar uns "tapas" na fêmea, e de olho no ninho para não ser destruído.

O macho irá nadar atrás da fêmea e pronto para atacar, só separe se notar que a fêmea corre perigo, de 12 a 24 horas juntos, o macho forçará a fêmea a ir para debaixo do ninho.

Só então nadarão em círculos e o macho dá uma espécie de abraço na fêmea, apertando-a para facilitar a liberação dos ovos, e é o macho que os coloca no ninho, terminado o serviço, retire a fêmea com cuidado, já que o macho é o responsável pelos ovos e nascimento dos alevinos.

Após 2 ou 3 dias os alevinos dão o ar de sua graça, e ainda são protegidos pelo orgulhoso papai, mas após o quinto dia, separe o pai dos filhotes para não dar nenhuma confusão, o então orgulhoso papai, nesta etapa esquece os laços e pode comer seus filhotes.

Alimente os alevinos com porções pequenas, observe sempre os peixinhos e por volta do segundo mês você deve separá-los em aquários menores, machos  ficam sozinhos e as fêmeas podem ficar juntas.

Dá um certo trabalho, mas caso dê certo, a sensação de vitória é incrível.

Leia também, Um Aquário pra Chamar de Seu

Marjorie Borges

**do site http://www.aquahobby.com

Relacionaos

Gostou? Compartilhe