21/02/2017

Bicho de Estimação - Doenças Comuns em Gatos Idosos

A partir dos 8 anos o gato já é considerado um idoso, mas uma vida de dieta balanceada e acompanhamento veterinário resolvem boa parte dos problemas de saúde que podem ocorrer nessa fase. Veja algumas Doenças Comuns em Gatos Idosos:


ARTROSE: é uma doença degenerativa nas articulações, muito comum em gatos, especialmente idosos. Como o gato tem o porte pequeno, as dores e falta de mobilidade não afeta de forma tão drástica como nos cães. Perceba se o felino tem dificuldade em subir ou descer de móveis e escadas, o diagnóstico é feito através de exames de imagem e o tratamento consiste em diminuir a dor e o processo inflamatório, através de analgésicos e antiinflamatórios, o uso da acupuntura, também representa bons resultados.

 

CARDIOPATIAS: é difícil observar em um gato algum sinal de doença cardíaca, e muitas vezes quando isso acontece, já não há o que fazer. Mas existem alguns fatores que se observados atentamente, possa ajudar no tratamento, eles aparecem normalmente quando a doença já está avançada: aumento da frequência respiratória e dificuldade para respirar, cansaço, apatia, fraqueza, paralisia dos membros posteriores.
Por isso é importante a realização de exames preventivos para checar se tudo está bem com seu bichinho.

 

CATARATA: a cor dos olhos fica mais opaca, e o gato sente maior dificuldade para enxergar, a cirurgia é a única opção de tratamento.

 

DIABETES MELLITUS: uma das principais doenças hormonais em gatos, os principais sintomas são: sede excessiva, aumento de volume urinário, perda de peso, porém muito apetite. Obseve também como seu gato se comporta ao urinar, se faz uma postura de esforço, às vezes deixam de beber água e comer, atente aos vômitos também. O tratamento é feito com insulina e controle diário glicêmico, uma dieta balanceada é primordial.

 

HIPERTIREOIDISMO: comum em gatos idoso, o excesso de hormônio tireoidiano, levando ao aceleramento do metabolismo, fazendo com que o organismo do felino não suporte tamanha carga. Os sintomas mais comuns são perda de peso, aumento de apetite e um grau de hiperatividade, algumas áreas com falha de pêlo, muita ingestão de água e volume urinário acima do normal. O tratamento é feito através de medicamentos, de cirurgia para retirada de tecido glandular e também o uso de iodo radioativo.

 

INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA: é quando os rins não conseguem eliminar resíduos do sangue. É normal o gato apresentar mais sede e beber mais água além do normal. A tendência é o aumento do volume de urina, há também, perda de apetite, diarreia, vômitos e depressão. O tratamento consiste em diurese, uma espécie de faxina nos rins, depois uma dieta balanceada, o acompanhamento veterinário é primordial.

 

PROBLEMAS DENTÁRIOS: se o gato passou toda a sua vida sob cuidados dentários de prevenção, na velhice passará tranquilo sem maiores problemas, no caso do tártaro é sempre bom em qualquer fase eliminá-lo, para evitar a perda dentária. O consumo de ração seca, também ajuda a manter os dentes mais limpos do que as úmidas.

 

TUMORES: nem sempre os tumores em gatos são cânceres, mas todo e qualquer nódulo que aparecer em um gato, deve ser verificado por um veterinário, pois quanto antes for descoberto, o tratamento, que pode ser cirúrgico ou quimioterápico, terá mais êxito.

 

 

Relacionaos

Gostou? Compartilhe