27/05/2015

Bicho de Estimação - Próteses Animais

O estudo de próteses animais é algo que ainda engatinha dentro da veterinária, pois uma série de obstáculos dificultam bastante as pesquisas nessa área. O fato de não haver um feedback por parte dos animais complica muito o desenvolvimento das peças. É como querer saber a opinião de uma criança que ainda não fala.

O máximo que se pode fazer é observar a reação do animal ao usar um membro artificial que está substituindo o que foi perdido. Pesquisadores da área ainda divergem no que diz respeito à eficiência das próteses: se elas realmente são benéficas para os bichos e em quais situações devem ser utilizadas. A necessidade de se conhecer profundamente a compleição e a fisiologia do animal também é muito desafiadora e consiste em um problema nessa área de estudo.

Não é raro vermos ou conhecermos o caso de algum cachorro ou gato que tenha perdido uma das patas. Normalmente a adaptação nesses casos é boa, e aparentemente os animais vivem felizes tendo apenas três pernas para se equilibrarem. Este é um caso típico no qual há bastante debate sobre os benefícios que uma pata artificial pode trazer. No caso de quadrúpedes, a perda de dois membros já é muito problemática, e há a necessidade da implantação de próteses para trazer de volta o bem-estar do bicho.
Para que o animal se acostume com as próteses, é necessário que ele entenda para que elas servem e que veja o benefício que trazem, caso contrário o novo membro pode mais atrapalhar do que ajudar. Além de patas, diversas outras partes dos corpos dos bichos vêm ganhando substitutos quando preciso. É o caso de bicos de aves, cascos e nadadeiras de tartarugas e até mesmo revestimentos protetivos para evitar que animais com alguma deficiência causem ferimentos em si mesmos.

A complexidade de se desenvolver um produto como esse, na maioria dos casos, é extremamente alta e pode beirar o impossível em casos como o do cão que perdeu partes das quatro patas e ainda ficou cego. Além disso, a adaptação do animal é muito mais complicada, visto que as limitações de feedback já existentes se tornam maiores ainda.
Porém, apesar de todos os reveses, o desenvolvimento tecnológico nessa área tem crescido a cada dia. Isso é uma ótima notícia, e não apenas para os amantes dos animais, visto que os conhecimentos obtidos nas pesquisas veterinárias podem também servir para incrementar as próteses humanas, tornando-as cada vez mais bem adaptadas à nossa fisiologia.

A ciência pode dar uma assistência cada vez maior tanto ao ser humano quanto a outros seres vivos que dividem os ambientes conosco. A área da prostética animal é bastante ampla, e está apta a dar ótimos frutos para quem se aventurar por ela e, principalmente, para os bichos que um dia possam precisar desse tipo de apoio. E nessa onda, todos nós também nos beneficiamos.

Fonte: Tecmundo

Leia também, Cão Guia: Olhos Que Latem

Relacionaos

Gostou? Compartilhe