11/12/2014

Bicho de Estimação - Vai viajar? Como cuidar do seu Pet nas férias.

Enfim, férias. Dezembro é um mês movimentado e propício para viagens em família, mas se a casa tem um ou mais pets, é preciso definir se o animal ficará aos cuidados de algum conhecido ou se hospedará em um hotel específico para cães e gatos.

Outra possibilidade é a família embarcar em uma aventura com o pet e traçar um roteiro em sua companhia, mas antes de fazer as malas é preciso saber se o hotel ou pousada recebe animais de estimação em suas acomodações.

Uma das formas de encontrar locais que aceitem os pets é procurar sugestões de hospedagem em nossa sessão de Clínicas e Serviços Bicho de estimação  (http://bichodeestimacao.com.br/buscar-clinicas/0/categoria/hoteis-para-animais), uma sessão especializada em divulgar serviços em geral para seu PET. 

Com esse recurso, é possível encontrar locais de hospedagem em várias cidades brasileiras que recebem os animais.

Se você já encontrou o seu destino e seu amigo de estimação o acompanhará nessa viagem, é preciso cuidar de sua saúde, agindo preventivamente para protegê-lo contra pulgas e carrapatos com antiparasitários (Compare preço de anti-parasitários e outros medicamentos pet).

“Além de causar incômodos como alergias e coceiras, a pulga também pode transmitir doenças graves aos animais como a dermatite alérgica a picada de pulgas (DAPP), anemia e estresse. Já os carrapatos podem desencadear doenças como a babesiose, a erliquiose, a hepatozoonose e a anaplasmose, patologias que, quando não tratadas, atacam os glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas, trazendo consequências mais graves ao pet”, afirma Filipe Dantas-Torres, médico veterinário e pesquisador especialista em Parasitologia Veterinária.

Os cuidados com os animais não se restringem a pulgas e carrapatos. Muitas regiões do país registram casos de leishmaniose visceral canina, uma doença causada por um protozoário (a Leishmania) que acomete o cão e pode ser transmitido ao humano quando esse picado por flebotomíneos, ou “mosquito palha”, infectado.

O cachorro é considerado o principal hospedeiro em ambientes urbanos, entretanto, animais silvestres, gatos e até mesmo o homem podem ser infectados.

“Os principais sintomas relatados são lesões na pele, como descamação e feridas na região do focinho, orelhas e rabo, além de sintomas sistêmicos como apatia, perda de peso, crescimento anormal das unhas e alterações oculares (conjuntivites, inflamações da córnea e pálpebras). Nos casos mais graves, pode ocorrer o comprometimento de rins, baço e fígado. É importante ressaltar ainda que há animais que não apresentam nenhuma manifestação clínica aparente, porém podem albergar o protozoário”, destaca o Dr. Filipe.

Alguns animais podem estranhar ambientes diferentes ou barulhos como de fogos de artifício, muito comuns nessa época do ano, por isso é importante que o proprietário também fique atento com a segurança do pet, identificando-o e mantendo-o com uma coleira para que possa ser resgatado em caso de fugas.

Finalizadas todas as ações preventivas, resta à família aproveitar as férias e registrar as atividades diárias em fotos e vídeos, afinal, em uma viagem com o pet a diversão já começa antes mesmo de desembarcarem no destino final.

 

Fonte: tribunadabahia.com.br

Imagem: Google

Relacionaos

Gostou? Compartilhe