28/03/2017

Bicho de Estimação - Vivendo com uma Calopsita. Tudo sobre esta linda Ave

Bem vindos a mais um artigo. Desta vez vamos tratar sobre as aves: VIVENDO COM UMA CALOPSITA - TUDO SOBRE ESTA LINDA AVE

De origem australiana, a Calopsita é uma ave que hoje em dia, está bem inserida no ambiente doméstico das grandes cidades, como bicho de estimação.

O motivo de tanto sucesso se deve ao fato de ser um bicho que reconhece seu dono de longe e de ter um perfil alegre e companheiro, mas logo de cara, pode ser uma ave bem agressiva, aos poucos ela vai ficando mansa e interage bem com as pessoas à sua volta.

As calopsitas vivem em média 10 anos, podendo chegar aos 25 anos. Se alimentam basicamente de sementes, como aveia, soja, arroz integral, por exemplo. Você pode ainda complementar a alimentação da sua amiga com algum tipo de proteína, como queijos e ovos. Legumes e frutas também são boas opções.

Deixe disponível água potável e fresca, elas adoram. E não só para beber, elas amam tomar banho, você pode adaptar uma banheira na gaiola, ela vai comemorar muito.

Normalmente as calopsitas ficam zanzando pela casa, mas você pode ter também uma gaiola grande e espaçosa para exercícios com um local para dormir. È importante que a gaiola seja resistente, pois a ave costuma bicar até acabar com o material. Existem argolas e vários brinquedinhos disponíveis no mercado, que garantem a diversão. Não se esqueça de forrar com jornal o fundo da gaiola, facilitando a limpeza.

Se você tem um espaço maior e seguro, crie um viveiro ao ar livre para que ela tenha mais liberdade, afinal, ela é um pássaro.

São aves muito especiais e que necessitam de atenção constante, em alguns casos, quando sentem-se rejeitadas, seja por não ser o centro do mundo ou a falta de um companheiro do sexo oposto, elas se automutilam, arrancando as penas por exemplo, portanto é sempre bom analisar qualquer mudança de comportamento.

Fique de olho também, em lesões nas asas ou patinhas, observe os bicos e as unhas, a calopsita pode ter problemas de má digestão, ficar resfriada (cuidado com correntes de ar), entre outras coisas, então é sempre bom uma consulta com um veterinário.

Por: Marjorie Borges

Relacionaos

Gostou? Compartilhe